terça-feira, 22 de novembro de 2011

A soma das coisas.

CHAGALL


Com espírito vadio, corpo vazio, perambulava, sem dente, esses da frente.
Dizia que era gente decente, mas era descrente... de todos os serviços.

- É... ossos do ofício. Trabalhar pra quê? Meu espírito é livre.
Quero viver de amor, de poesia.
Conquistar o sorriso de uma menina.
Um sorriso com todos os dentes.
Até os da frente.
E os dela são até um pouco pretuberantes...
O que foi?
Não é porque eu sou vagabundo que eu sou burro.
Eu falo tudo. Até o que pra você, não devia.
O dinheiro não traz sensibilidade, inteligência...
A liberdade sim, te dá o mundo, sem cobrar nada.
O amor incondicional dá isso.
E eu amo incondicionalmente aquela dentuça.

2 comentários:

S.silva disse...

É isso o que eu quero da vida:
“Me vê uma rodada de vida boa, com uma porção extra de amor, uma boa dose de amizades verdadeiras e boas músicas para acompanhar.”

--Caio Fernando Abreu-

Obrigada pela partilha,
gostei muito :D

Thaís Vaz disse...

:D