sábado, 8 de novembro de 2008

O Caçador



Meu cotidiano, de quando em vez, é simples, paranóico...
imprevisível , melancólico.
o Tudo ao redor fica sem gravidade.
Os olhos vêem com mais profundidade.
Mais molhados, mais borrados.
A vida engole a realidade.
Eu espero, pressinto,
Admiro os segundos do relógio e ...
sucinto!
Quando se permite intuir,
o Tudo ao redor fica mais à vontade
Você se torna imprescindível,
mesmo que isso não seja verdade.
Transforma-se em um caçador
Faz com que o acaso perca seu valor
Engraçado... Todos agora o chamam de senhor!

3 comentários:

Rico disse...

Inspiradíssima nos dois últimos pontos. heheheheh

outro casulo disse...

bunito isso, moça...

Aline Fanju disse...

ih...estranho...sou eu essa aí de cima...rs!