terça-feira, 20 de maio de 2008

A Procura de Brigitte





Em uma escola a campainha toca e é o fim de mais um dia de aula. As mães na porta ansiosas conversam entre si e esperam seus filhos. O portão se abre e a garotada corre. A busca pelo encontro de olhares começa. As mães tentam achar suas meninas dos olhos, através do som de suas crias. E estas, olham para céu no anseio de achar a Senhora de seu destino. Quando se encontram, gritos, beijos. As mães perguntam; Como foi seu dia, o que aprontaram?E as crianças contam em velocidades orbitantes suas vivências, e as pequenas mãos encontraram suas guias. Seladas elas vão para casa.
Brigitte,de tanto olhar pro céu se senta, foi esquecida. Com seu cadarço desamarrado, ela está sozinha, com as pernas tortas no meio-fio. De bico formado ela brinca com um graveto riscando o chão e espera... O abraço... O beijo forte estalado na bochecha... O colo... A mão que a carregará de volta pro seu porto seguro. Mas a sua mãe não chega. Os sons ficam mais distantes. Tudo fica deserto e o vazio se instala. Brigitte então, encolhida olha para o chão e encontra uma formiguinha indo ao encontro de seu pé, sozinha, carregando com dificuldade um “enorme” pedaço de folha. A formiga vira pra um lado, pro outro, e fica perdida em seu caminho. Tenta então subir pelo tênis de Brigitte, mas cai. A menina vendo seu sacrifício retira o obstáculo e a formiguinha segue seu caminho. Brigitte amarra o cadarço e sorri.
Mas logo depois lembra de sua situação e começa a sentir um aperto no peito, sua respiração fica mais contida e olhando para os lados ela vê a imensidão à sua volta e se sente só. Começa a pensar na formiga e percebe que a visão dela do mundo é muito maior que a sua. Será que ela também se sente só? Será que ela sente medo? Ou será que ela simplesmente busca sua comida, passa pelos obstáculos e volta para casa sem pensar em mais nada?
Brigitte se levanta e resolve voltar sozinha para casa. Decide ser sua própria guia. Viver novas aventuras, se tornar roteirista do seu destino. Começa então a correr sem parar. Imaginando estar com um pincel, ela desenha as imagens do seu novo caminho. Repara a beleza das árvores. Imensas, pesadas, que mesmo fincadas ao chão, voam. As folhas dançam conforme a música que o vento produz. Brigitte então pára, fecha os olhos e insere a trilha sonora do vento em sua mente. Abre os braços e rodando, ela respira as notas musicais da natureza. Seu corpo absorve toda a pureza. Ela cheira as plantas ao seu redor e sente o gosto do novo, o prazer do desconhecido. Tudo é tão intenso que ela se sente feliz e orgulhosa por estar sentindo aquilo sem ninguém para guiá-la.
Brigitte volta a caminhar e vê o mar paradinho calmo, com ondas pequenas. Tira a roupa e mergulha de olhos abertos vendo o verdinho no fundo e quando submerge se sente renovada, agradecida. É só nisso que ela pensa: Obrigada!Obrigada! Boiando ela olha para o céu, limpo!Um azul! Como pode ser tão uniformemente azul? Ela brinca de jogar a água de um lado para o outro com as mãos e sente o Sol, aquecê-la, como se estivesse no colo de sua mãe. Ansiosa ela sai rápido da água e sentindo a areia fofa entre seus dedos, ela espera a luz carregar as gotículas do seu corpo. Sente o Sol levá-las, mas não sabe pra onde vão... Bom, isso não importa para Brigitte agora, porque o que ela quer é se alimentar do Tudo para não sentir o Nada.
E enquanto ela veste sua roupa uma velhinha se aproxima e diz:
-Muito bem! Muito bem!
Brigitte sorri
-Muito bem,são poucas as meninas que fazem isso.
A menina fica encafifada se perguntando como a velhinha sabe?E a velhinha volta para o seu grupo que possui enfermeiras que as abraçam, coisa difícil de ver em uma sociedade que maltrata velhinhos.
Ela então segue cantando, imersa de sensações. Chegando em casa, sua mãe aos prantos, preocupada, corre ao seu encontro, se ajoelha e a abraça forte. Falando sem parar ela pergunta onde a menina estava e Brigitte, serena responde:

- Eu conheci Deus mamãe!



6 comentários:

papaigay disse...

Achei essa menina meio auto biografica... É isso aí. Manda ver querida.

La Bohème disse...

Muito envolvente e comovente!Continue sempre exercitando a janela da sua alma...adorei a Thais escritora!!! Sucesso!
Beijos Meca

rodrigo nogueira disse...

Lindo vazga. Lindo mesmo. Tem umas imagens ótimas!
Depois quero falar mais ao vivo.
bjs, r.

Larissa Carvalho disse...

Muito bom !! Ótima escritora !

Luana disse...

Você sabe como eu adoro as suas histórias né??!!
Mas a minha preferida é essa a "Procura de Brigitte"!!!Uma divertida história para mim

Bjss Lua!!!

Luana disse...

Você sabe como eu adoro as suas histórias né??!!
Mas a minha preferida é essa a "Procura de Brigitte"!!!Uma divertida história para mim

Bjss Lua!!!